Parar de fumar é a melhor prevenção do câncer que atingiu Ana Maria Braga

A apresentadora Ana Maria Braga revelou, na última segunda-feira, durante o programa “Mais você”, da Rede Globo, que passou por cirurgia para retirada de um câncer no pulmão em setembro. É a terceira vez que ela luta contra a doença — antes, a pele e o intestino haviam sido atingidos. Ana Maria, de 66 anos, afirmou que era fumante de longa data e que só largou o cigarro quando recebeu o terceiro diagnóstico.

— Fiquei estatizada. É um risco que toda pessoa que fuma tem, mas acha que está imune — contou Ana Maria. — Eu não sentia nada.

O tumor no pulmão esquerdo da apresentadora media seis milímetros. No programa, o oncologista Antonio Carlos Buzaid, médico de Ana Maria, disse que ela “teve muita sorte”, já que esse foi o câncer menos grave. As chances de cura são próximas a 100%.

Na cirurgia, foram retirados o tumor e parte do pulmão, para margem de segurança. Não foi necessário fazer quimioterapia ou radioterapia.

De acordo com o pneumologista Ricardo Meirelles, o fato de Ana Maria ter continuado fumando após dois cânceres pode ter aumentado o risco de a doença se manifestar novamente.

— Há 60 substâncias cancerígenas na fumaça do cigarro. Se o paciente continua inalando isso, aumentam os riscos de surgir um novo tumor — disse o médico, responsável pela Clínica de Tratamento do Tabagismo do Grupo COI (Clínicas Oncológicas Integradas): — O tratamento do tabagismo está dentro do tratamento do câncer. Ao receber o diagnóstico, é importante que o paciente busque apoio para parar de fumar imediatamente.

Além do câncer, o tabaco está relacionado a aneurismas, tuberculose, enfisema pulmonar, gastrite, osteoporose e catarata, entre outros problemas. Segundo Meirelles, para parar de fumar, o primeiro passo é se conscientizar da importância disso para a saúde. Entender que o tabagismo é uma dependência química, reconhecer quando a ajuda médica é necessária e conhecer os tratamentos disponíveis também é fundamental.

Detecção precoce graças a companheiro
Companheiro de Ana Maria Braga, Bill, incentivou a apresentadora a fazer exames Foto: Reprodução de vídeo / TV Globo

Companheiro de Ana Maria Braga, Bill, incentivou a apresentadora a fazer exames Foto: Reprodução de vídeo / TV Globo

Ana Maria Braga disse que o diagnóstico precoce da doença, que permite a alta chance de cura, só foi possível graças ao seu companheiro, Bill, a quem chamou de “anjo da guarda”. Incentivada por ele a fazer ginástica e a parar de fumar, a apresentadora marcou uma bateria de exames no intuito de melhorar o desempenho nos exercícios.

— Eu já faço exames regularmente por causa do câncer de intestino, de seis em seis meses, às vezes uma vez ao ano, porque já passei pelo período de grande perigo de reincidência. Mas ele (Bill) tanto insistiu que marquei a consulta. Fui para a tomografia e, quando saí, disseram ‘melhor você ligar para seu médico, achamos uma coisa pequena, mas é o início de um tumor cancerígeno — contou.

Segundo o oncologista Mauro Zukin, diretor técnico do Grupo COI, a tomografia é, hoje, o único exame capaz de detectar o câncer no pulmão:

— Por isso, há dificuldade de se conseguir um programa amplo de diagnóstico precoce em grandes populações com fatores de risco, que incluem fumantes e ex-tabagistas. Existe o custo, mas isso teria impacto importante para sobrevida ou cura dos pacientes.

Após os 55 anos, o ideal é realizar o exame anualmente, durante três anos seguidos. Se não for constatada alteração, a sequência é interrompida. Por ano, surgem cerca de 30 mil novos casos de câncer no pulmão no Brasil.

‘Foi o menos grave’

Parar de fumar é a melhor forma de prevenir o câncer de pulmão Foto: Yuriko Nakao / Bloomberg/Arquivo

Parar de fumar é a melhor forma de prevenir o câncer de pulmão Foto: Yuriko Nakao / Bloomberg/Arquivo

A apresentadora se emocionou ao receber o trio de médicos que a acompanhou nos momentos difíceis. Antonio Carlos Buzaid explicou o que aconteceu com ela:

— Acho que você teve muita sorte, foi o menos grave. Se você esperasse ter sintomas, poderia ser pior. Mas a sua cura é próxima de 100%.

De acordo com o oncologista Mauro Zukin, é possível definir, pelo menos, 15 subtipos de câncer no pulmão, conforme suas características genéticas. Todo tumor é uma célula que sofreu mutação e passou a se multiplicar desordenadamente, tornando-se maligna.

— Alguns subtipos têm apenas uma mutação, outros têm várias, o que pode conferir muita agressividade ao tumor, mesmo que ele seja pequeno — explicou Zukin.

Em estágio avançado, o câncer provoca tosse, dor torácica, falta de ar, emagrecimento e escarro com sangue.

 

Fonte: Araruna Online (http://www.ararunaonline.com/) – Secom – FB

Link direto: http://www.ararunaonline.com/noticia/18944/parar-de-fumar-e-a-melhor-prevencao-do-cancer-que-atingiu-ana-maria-braga

Leia também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *